23 maio 2017






Deixei o meu coração no forno,
é só aqueceres e tens jantar.
O que sobrar dá ao gato.
Eu sempre gostei do gato.



Raquel Serejo Martins







17 maio 2017





lista de livros lidos em 2017 :




1 : strange weather in tokyo, hiromi kawakami, portobello books



2 : the book, keith houston, w. w. norton


3 : ver no escuro, cláudia r. sampaio, tinta-da-china   


4 : mil anos de esquecimento, afonso cruz, alfaguara


5 : oscar wilde, a certain genius, barbara belford, bloomsbury  


6 : oscar wilde, richard ellmann, penguin


7 : kitchen, banana yoshimoto, faber & faber



8 : la tentation de saint antoine, gustave flaubert, folio
 


9 : tres deseos (poesía reunida)amalia bautista, renacimiento


10 : early christian lives, carolinne white, penguin classics


11 : hyeronimus bosch: the complete worksstefan fischer, taschen


12 : the desert fathers: sayings of the early christian monksbenedicta ward, penguin classics


13 : poesía completa, alejandra pizarnik, lumen


14 : el asombroso viaje de pomponio flato, eduardo mendoza, booket


15 : sonetos de shakespeare, trad. vasco graça moura, quetzal


16 : the visiting privilege (collected short stories)joy williams, tuskar rock



17 : rashomon and seventeen other stories, ryunosuke akutagawa, penguin


18 : aves de incêndio, raquel serejo martins, poética


19 : a cup of sake beneath the cherry trees, yoshida kenkö, penguin


20 : a brecha, joão pedro porto, quetzal


21 : ...






09 maio 2017






Desertei das falanges do ouro
para vir sitiar a tua sombra.
Movias-te como se jamais te prendesse
outra lealdade
que não a interrogação
de um cais. E, porém,
os teus olhos silenciosos,
somando as imagens.
Qual pano,
desce sobre a cidade o músculo
das coisas prementes.
Das safras de pólvora colhi a tua incerteza
de rapariga. Depois, perdi-te
entre os prodígios.





Vasco Gato







06 maio 2017






faz hoje um mês que nos deixou donald jay rickles, um dos maiores comediantes de todos os tempos, apesar de pouco conhecido na europa. foi um dos pais daquilo a que hoje se chama stand-up comedy e desenvolveu um estilo próprio, baseado na observação e crítica directa do público. por vezes parecia ser quase insultuoso mas era apenas uma atitude estudada, e ninguém como ele conseguia fazer um elogio pela negativa - e sempre com humor e ironia. começou em pequenos clubes e esteve activo até aos 88 anos de idade. em hollywood, entre as estrelas do cinema, era considerado uma honra ser alvo dos seus reparos mordazes. deixo aqui três exemplos das suas actuações em galas de homenagem, para as quais era sempre convidado. percebe-se facilmente porquê.










30 abril 2017





{ dia do jazz }






com um dos melhores quintetos de sempre 
 num clássico apenas um bocadinho mais antigo do que eu





25 abril 2017







Há uma mulher a morrer sentada
Uma planta depois de muito tempo
Dorme sossegadamente
Como cisne que se prepara
Para cantar

Ela está sentada à janela. Sei que nunca
Mais se levantará para abri-la
Porque está sentada do lado de fora
E nenhum de nós pode trazê-la para dentro

Ela é tão bonita ao relento
Inesgotável

É tão leve como um cisne em pensamento
E está sobre as águas
É um nenúfar, é um fluir já anterior
Ao tempo

Sei que não posso chamá-la das margens






Daniel Faria





21 abril 2017






faz hoje um ano que sua alteza nos deixou
esta é uma das canções de que mais gosto















imagino que sobre nós virá um céu
de espuma e que, de sol em sol,
uma nova língua nos fará dizer
o que a poeira da nossa boca adiada
soterrou já para lá da mão possível
onde cinzentos abandonamos a flor.

dizes: põe nos meus os teus dedos
e passemos os séculos sem rosto,
apaguemos das nossas casas o barulho
do tempo que ardeu sem luz.
sim, cria comigo esse silêncio
que nos faz nus e em nós acende
o lume das árvores de fruto.

diz-me que há ainda versos por escrever,
que sobra no mundo um dizer ainda puro.





Vasco Gato







19 abril 2017





i just don't trust the sun to rise
when i can't see your eyes
(you're my reason for breathing)...










17 abril 2017





lista de livros lidos em 2017 :




1 : strange weather in tokyo, hiromi kawakami, portobello books



2 : the book, keith houston, w. w. norton


3 : ver no escuro, cláudia r. sampaio, tinta-da-china   


4 : mil anos de esquecimento, afonso cruz, alfaguara


5 : oscar wilde, a certain genius, barbara belford, bloomsbury  


6 : oscar wilde, richard ellmann, penguin


7 : kitchen, banana yoshimoto, faber & faber



8 : la tentation de saint antoine, gustave flaubert, folio
 


9 : tres deseos (poesía reunida)amalia bautista, renacimiento


10 : early christian lives, carolinne white, penguin classics


11 : hyeronimus bosch: the complete worksstefan fischer, tachen


12 : the desert fathers: sayings of the early christian monksbenedicta ward, penguin classics


13 : poesía completa, alejandra pizarnik, lumen


14 : el asombroso viaje de pomponio flato, eduardo mendoza, booket


15 : os sonetos de shakespeare, trad. vasco graça moura, quetzal


16 : the visiting privilege (collected short stories), joy williams, tuskar rock




17 : ...





11 abril 2017





the laughing heart




your life is your life
don’t let it be clubbed into dank submission.
be on the watch.
there are ways out.
there is a light somewhere.
it may not be much light but
it beats the darkness.
be on the watch.
the gods will offer you chances.
know them.
take them.
you can’t beat death but
you can beat death in life, sometimes.
and the more often you learn to do it,
the more light there will be.
your life is your life.
know it while you have it.
you are marvelous
the gods wait to delight
in you.




Charles Bukowski






[para a mariana - and i agree with mr waits, that's a beauty]

09 abril 2017






O poeta tem muitas dúvidas
não sabe se o que faz é poesia.
O poeta lê muitos poetas,
por isso tem dúvidas.
O poeta sabe pouco,
só sabe que sabe
(lembra a Luísa a subir a calçada),
fazer bolo de chocolate,
receita herdada da bisavó materna.
Um bolo negro, fundente,
mais do que al dente!
Um bolo que põe os comensais
a lamber os dedos com volúpia
e com apetite a pedir mais.
E depois de uma fatia de bolo de chocolate,
o poeta gosta de fumar um cigarro,
e enquanto fuma o seu cigarro,
é sempre assaltado pelos mesmos pensamentos,
Faz bolo de chocolate, poeta;
Faz bolo de chocolate!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão bolo de chocolate.





Raquel Serejo Martins